14 de mai de 2013

Justiça ou Vingança?


No terreiro todos temos funções definidas, mas essa semana, a zeladora pediu que eu limpasse o Gongá. De coração ferido de tanta mágoa e injustiça que estou passando, aproveitei para em preces fazer meu trabalho, comecei por meu pai Oxalá, que fica no alto, pedi a ele luz e caminho, a minha mãe Iansã e Oxum, pedi serenidade e força, a Ogum Pedi a quebra das demandas... Ao chegar em Xangô, parei e firmei meu pensamento com todas as forças, quando quase tocava uma das pedras de sua firmeza, ouvi uma serena voz: 

- Se fizeres isso, estará lançando sua vida ao infortúnio. 


Parei e olhei para trás, sentada no toco estava a minha querida Vovó Cambinda.

- Mas vovó, por quê? Eu preciso de justiça!
- Fia, se tocares nessa pedra e pedir a Xangô justiça, será apenas a sua boca professando. Mas sua alma pede na verdade vingança. 

Xangô faz a justiça, quer você queira, ou não! Não é necessário pedir. O que você quer na verdade é ter o mal que lhe foi feito reparado, quer que a sua dor volte para quem lhe enviou. E na verdade, isso não te levará à felicidade, embora você ache que lhe trará alívio. 

Acalme seu coração. Deixe Xangô agir. Deixe Oxalá trabalhar. A lei da vida é deveras complicada para vocês desse mundo. E para nós é tão fácil. Se foi ofendida, releve, perdoe. Se foi injustiçada, peça a seu irmão paz de espírito para que ele não torne a fazer. Mas jamais peça Justiça com intuito de vingança.

Tenha fé. Que esta não lhe falte nunca.

Vovó Cambinda.



Por mais que nos pareça justo, desejar o mal de outrem só faz mal a nós mesmos. Todos temos aprendido, o pouco que sabemos, através de experiências negativas, do sofrimento, da dor, da injustiça. É assim para mim, para ti, e para quase todos que estão encarnados neste planeta.

Se o ensinamento maior do Mestre Jesus foi "Amai ao próximo como a si mesmo", não será adequado desejar o mal de ninguém.

A lição de cada um virá à seu tempo e, tantas vezes quantas sejam necessárias até que seja assimilada. Esta é a Lei e não cabe à nós interferirmos neste processo.

Recordo-me de uma situação em que eu me encontrava diante de um Exú que trabalhava para desmanchar um feitiço feito para me causar dano. Após identificar a qualidade e origem do feitiço, perguntou-me "prestativo" com sua natureza dúbia:

- O "boneco" quer que eu devolva ao remetente?

Meditei durante alguns segundos e, conhecendo um pouco a natureza do espírito que se encontrava diante de mim e, um outro pouco da Lei maior que governa o Universo, devolvi-lhe a pergunta:

- Mas, não é esta a Lei? Não será feito assim de qualquer maneira, mesmo que eu não peça?

Ele então gargalhou e respondeu:

- Sim "boneco", assim é a Lei! O Bem retorna a quem faz o Bem e o Mal retorna a quem faz o Mal e, eu, que não sou nem bom e nem mau, devo testar os filhos de fé para saber se eles desejam enviar e receber o bem ou o mal. Desta vez, o filho se saiu bem! Continue atento e vigilante, e nunca se esqueça que aquilo que o "boneco" deseja pros outros é o que atrai para si. Eu só faço a entrega, sou só o carteiro, quem faz a encomenda são vocês.

0 comentários:

Postar um comentário

Postagens Recentes